Tomografia Computadorizada Cone Beam: generalidades, indicações e aplicações

A tomografia computadorizada mais utilizada na Odontologia é conhecida como tomografia computadorizada de feixe cônico ou Cone Beam (TCCB). Este exame é um método de diagnostico por imagem que utiliza Radiação X e permite obter a reprodução do complexo maxilo-mandibular em qualquer um dos três planos espaciais, possibilitando uma visualização das três dimensões do paciente em um mesmo exame ( altura, largura e profundidade), eliminando as sobreposições.  A tomografia cone beam apresenta, também, a grande vantagem de gerar imagens em tamanho real, permitindo exatidão nas mensurações ósseas.

É um ótimo exame para avaliação dos tecidos duros (ossos e dentes) e a dose de radiação utilizada nos equipamentos modernos é relativamente baixa, equivalendo a cerca de 3 radiografias panorâmicas ou 9 radiografias periapicais. Além disso, o exame pode ser solicitado para a  visualização de uma região específica de interesse do cirurgião dentista (um único dente ou algum segmento do arco) permitindo uma diminuição ainda maior na dose de radiação.

A Tomografia Cone Beam é o exame que mais tem crescido nas solicitações para as clínicas de radiologia odontológica.  O custo do exame é menor quando comparado às tomografias utilizadas em laboratórios médicos. Ainda, possuem a qualidade de gerar as imagens em alta resolução. Neste contexto, o exame tem sido rapidamente incorporado a rotina de inúmeras especialidades odontológicas.

Já consagrada na Implantodontia, a tomografia é o exame por imagem que permite a mensuração exata da altura e espessura óssea disponível para instalação dos implantes, além de determinar com acurácia e precisão a localização das estruturas nobres da região e permitir o planejamento e visualização de enxertos ósseos.

Para a Cirurgia, o exame permite a visualização do posicionamento de dentes inclusos, supranumerários e a relação de 3º molares inferiores com canal mandibular. Permite, também, a avaliação de lesões ósseas, expansão ou destruição das corticais.

As especialidades da Endodontia e Periodontia têm a cada dia mais incorporado a solicitação do exame tomográfico a sua rotina. Desta forma, o exame permite a visualização de alterações em periapice, pesquisa de fraturas, canais acessórios ou perfurações, reabsorções ósseas extensas e lesões na furca, verificação da relação entre periapicopatias com estruturas nobres adjacentes, entre outros.

Já os especialistas em DTM, com as tomografias cone beam, podem observar os componentes ósseos da ATM, a existência de algum crescimento hiperplásico, osteofitos e assimetrias condilares.

Na ortodontia, outra especialidade aonde notamos a ascensão nas solicitações de exames tomográficos, conseguimos observar reabsorções radiculares, posicionamento dos dentes e tábuas ósseas e até realizar cefalometrias tridimensionais.

É importante que o cirurgião-dentista se mantenha sempre informado sobre as aplicações dos exames por imagem em sua especialidade a fim de que utilizando destes recursos consiga dar ao seu paciente um diagnóstico mais preciso e seguro e um plano de tratamento mais eficiente e adequado.

Por: Dra. Renata Nobile – CD Radiologista